A Classe de Baixa Renda e o Comércio Eletrônico

Que as classe de baixa renda aumentaram seu poder de compra, é fato. Fabricantes, redes de varejo, bancos e agências de publicidade, investem cada vez mais em pesquisas pra entender o perfil de compra desses brasileiros das Classes C, D e E, que têm renda familiar abaixo de R$ 4.591,00 (segundo classificação da FGV).
Aliado à esse aumento do poder de consumo, a baixa cotação do dólar nos últimos dois anos e as facilidades de financiamento possibilitaram que esse público tivesse acesso ao seu primeiro computador doméstico.
A partir de alguns meses de uso do computador, vem a ambientação com as ferramentas de informática, como softwares e páginas web, o que torna esse público cada vez mais confiante e seguro em realizar suas primeiras transações pela internet, tais como cadastros mais complexos em sites, redes de relacionamento, internet banking e envio de declaração de renda.
Em 2007 foram mais de 25 milhões de pessoas físicas que usaram a internet para transações bancárias (FEBRABAN).
Essa confiança, aliada aos preços competitivios das lojas virtuais, vem trazendo cada vez mais o público de baixa renda para o comércio eletrônico brasileiro. Com isso, o perfil sócio-economico do e-consumidor está numa tendência de mudança bastante interessante, que promete continuar nos próximos meses.
Outro fator relevante que deve ajudar esse público a se conectar nos próximos anos, são os celulares. A queda nos preços da transferência de dados, em conjunto com aparelhos de melhor qualidade de tela e fácil usabilidade (vide i-Phone), a telefonia móvel também promete influenciar nas mudanças do perfil de compras on-line.
Para o estrategista de marketing on-line e comércio eletrônico é fundamental estar antenado nessas perspectivas. Criar sites de e-commerce com códigos “phone-friendly” certamente é um passo à frente da concorrência. Melhorar a qualidade das informações dos produtos e até adaptar a linguagem de comunicação do site, outro ponto.
No dia 25 de março terei a oportunidade de falar com mais detalhes desse perfil de consumo na internet no evento do Canal Executivo “E-commerce para Baixa Renda”, em São Paulo. Se tiver a chance, compareça!