Amazon processa 1.000 “fake reviewers”

A Amazon.com começou uma ação legal contra mais de 1.000 pessoas não identificadas que afirma fornecer opiniões falsas em seu site.

A varejista online disse no processo, aberto em os EUA na sexta-feira (16), que a reputação da marca estava sendo manchada por “falsos, enganosos e inautênticos” comentários.

Amazon afirma que os 1.114 réus que está processando, faziam uma avaliação falsa por tão pouco, aproximadamente $ 5 dólares, no site Fiverr, uma plataforma online para compra e venda de pequenas tarefas.

A empresa de comércio eletrônico começou sua campanha contra os alegados colaboradores falsos por contratação de alguns dos membros Fiverr, de acordo com o relatório do tribunal.

Na sua queixa ao tribunal em Seattle, a Amazon disse: “Uma parte muito pequena dos vendedores e fabricantes tentam ganhar vantagens competitivas criando falsos, enganosos, e inautênticos comentários de clientes para os seus produtos na Amazon.com.”

E acrescentou: “Embora em pequeno número, essas avaliações ameaçam a confiança que os clientes, e que a grande maioria dos vendedores e fabricantes, depositam na Amazon, manchando assim a marca Amazon.”

A ação ainda afirma que: “A Amazon está trazendo essa ação para proteger os seus clientes desta má conduta, parando os processados e retirando-os do ecossistema que eles participam.”

No entendo, a Amazon não está processando o site Fiverr, uma startup que arrecadou US $ 30 milhões de investidores no ano passado, como diz a empresa em seus termos e condições que a publicidade de serviços, tais como escrever resenhas falsas é proibida.

O site Fiverr não contestou as alegações da Amazon sobre seus freelancers, e vai cooperar para remover os fakes. “Como Amazon observou, temos trabalhado em conjunto para remover serviços que violam nossos termos de uso, e responder prontamente a quaisquer relatos de conteúdo impróprio”, informou a empresa em um comunicado online.

Foi revelado no início deste ano, que a varejista on-line também está usando a filtragem de algoritmos para resolver o problema de falsas avaliações de produtos, que inflam as classificações das “estrelas”. De acordo com a Amazon, a inteligência artificial vai trazer comentários mais precisos ao topo, utilizando-os para criar uma classificação por estrelas. Anteriormente, essa classificação de estrelas era simplesmente uma média de todas as avaliações, o que permitiam opiniões falsas para influenciar fortemente o rating de visualizações.

Na Grã-Bretanha, opiniões on-line também têm sido “distorcidas” pelo crescimento de um mercado clandestino de comentários falsos, informou a Competition and Markets Authority, o órgão responsável por estudos de mercado no Reino Unido.

No seu relatório no início deste ano, a CMA disse comentários formam uma parte importante do processo de tomada de decisão dos consumidores, e que 54% dos adultos do Reino Unido leem os comentários online. Ele acrescentou que 23 bilhões de Euros são gastos por consumidores do Reino Unido, e potencialmente essas compras são influenciadas por opiniões online.

Apesar de vários sites que publicam comentários, a CMA suspeita que somente entre 1% -2% de todos os comentários sejam falsos, a taxa exata do problema de comentários falsos no Reino Unido, de acordo com a CMA, é desconhecida. “Dada a natureza ilegítima das opiniões falsas, seria quase impossível chegar a uma figura provável”, disse o relatório.

(…)

Amazon UK disse ao  The Guardian: “Nosso objetivo é fazer comentários tão úteis, quanto possível, para os clientes. Nós usamos uma série de mecanismos para detectar e remover a pequena fração de comentários que violam as nossas diretrizes, e nós encerramos essas contas “, e confirmou:”. Entramos rescentemente com ações judiciais contra uma série de indivíduos e empresas que estavam abusando do sistema ”

Notícia publicada originalmente em inglês no site do The Guardian.