Avon anuncia Vendas Online: Por que tão tarde?

A Avon, uma das maiores empresas de cosméticos do mundo, tem sua operação de faturamento funcionando através de vendas diretas. Esse modelo de comercialização se firma no contato pessoal, entre vendedores e compradores, fora de um estabelecimento comercial fixo. As revendedoras e consultoras da Avon são, certamente, a base desse negócio bilionário, visto que a empresa não trabalha com franquias e aposta, somente, nas vendas porta à porta.

 

De tempos pra cá, com o sucesso do e-commerce em pauta, viu-se no mercado online uma alternativa para ampliar a atuação da Avon. Entretanto, o receio sempre foi de que um novo canal de vendas colocasse em risco o principal combustível da companhia: as revendedoras e consultoras Avon. Inicialmente, a empresa de cosméticos lançou um site que funcionava basicamente como folheto online. Nele, o cliente pode criar uma lista com os produtos que deseja e enviar para uma revendedora de sua preferência, ou encontrar a representante mais próxima para finalizar a compra.

 

Em 2012, a empresa ainda lançou um aplicativo para tablet, sendo esse uma versão digital do seu catálago de produtos. Igualmente ao website, no aplicativo, o cliente também tem a possibilidade de colocar os produtos desejados em um carrinho de compras e encaminhar o pedido final para uma revendedora Avon. A internet assumindo apenas o meio de campo entre revendedora e cliente é, segundo a própria Avon afirma, a crença de que o relacionamento é o principal elo do negócio da venda direta. Isso dito, fica fácil de imaginar que a empresa tentou até o fim casar o e-commerce com o trabalho das revendedoras, adiando ao máximo a independência das vendas online.

 

Porém, como são poucos os que resistem aos números das lojas virtuais, a Avon anunciou, no começo desse mês de agosto, que iniciará uma operação de comércio eletrônico no Brasil. Em um primeiro momento, a Avon trabalhará no online somente com os produtos da linha de maquiagem Luxe. Essa linha é o mais novo lançamento da marca e, distanciando-se dos demais produtos da Avon, é voltada ao público de maior poder aquisitivo.

 

Por enquanto os itens das outras linhas continuarão sendo comercializados somente por catálogo e não há previsão para a inclusão desses no e-commerce. Será que a marca ousaria, trazendo todas suas linhas de produtos para o mercado online e desafiando seu principal conceito, que é o relacionamento interpessoal?

 


 

Ecommerce Beleza e SaúdeQuer melhorar as suas vendas de produtos de Beleza através do Ecommerce, ou entender melhor como funcionam as estratégias desse mercado para se tornar um profissional qualificado? Conheça o curso de Ecommerce no Segmento de Beleza e Saúde oferecido pela Comschool.