Como se tornar Analista de e-commerce

Saiba como se tornar analista de e-commerce

Para construir uma carreira no e-commerce, você não precisa ter uma formação acadêmica específica e, com muita dedicação, pode se tornar um analista de e-commerce.

O mercado de e-commerce está em crescimento e, de acordo com a ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico) deve faturar R$ 69 milhões neste ano.

Neste cenário, diversas oportunidades surgem e a exigência por profissionais de e-commerce com qualificação e que desejam ocupar posições, como a de analista, é imensa.

No intuito de saber mais sobre o mercado de e-commerce atual e conhecer as características que um profissional deve ter para ocupar o cargo de Analista de Ecommerce, conversamos com Marcelle Orsi Nicolino, Gerente de E-commerce da SURF CO, e com Letícia Togni, analista de e-commerce na Kippling Brasil.

Nicolino teve passagens sólidas por empresas, como Groupon e Netshoes. Além disso, foi responsável por iniciar do zero o e-commerce da Sestini e implementar o e-commerce da Green by Misako.

O próximo passo foi, já como gerente, reformular o departamento de e-commerce e marketing da Di Pollini. Em seguida, no Grupo Aste foi gestora do time de e-commerce da Kipling, Disel e COACH NEW YORK.

Já Togni, começou sua carreira no E-commerce como Produtora de Conteúdo na B2W, realizando análise de descritivos, produtos, detalhes e desenvolvendo um texto vendedor para subir pro site.

Com o crescimento do Marketplace, tornou-se analista de Marketplace na propria B2W, auxiliando os sellers em subida de produtos e problemas com sortimento e promoções.

“Parti pra um desafio maior na Hunter Fan, empresa americana inventora do ventilador de Teto. Desenvolvi, desenhei, planejei e executei todo o comercio online da empresa, iniciando em marketplaces até a subida da loja virtual”, contou Togni.

Segundo Nicolino, o mercado de e-commerce está crescendo em números exponenciais e, a cada ano é esperado um crescimento que gira em torno de 15% a 20%.

“Independente da economia e dos números do varejo, as empresas que estão investindo corretamente e contam com um time focado e de alta performance estão colhendo os lucros rapidamente. No e-commerce não há crise se o planejamento e as estratégias forem bem aplicadas”, explicou Nicolino.

Construa uma carreira como analista de e-commerce  

Imagine a seguinte situação: você trabalha há algum tempo no e-commerce, tem experiência e surge uma oportunidade para ocupar o cargo de analista de e-commerce.

No entanto, quais as características este profissional de e-commerce deve ter para ser um analista de e-commerce bem-sucedido?

De acordo com Nicolino, deve ser muito antenado, com sede de conhecimento para aprender sempre algo novo relacionado ao seu trabalho e esse “timing” funciona na mesma velocidade que a internet funciona.

“Hoje você faz as coisas de um jeito e amanhã o Google, Facebook, Instagram pode simplesmente mudar o algoritmo e todas as suas estratégias precisarão ser reavaliadas”, disse Nicolino.

A gerente de e-commerce alerta que o profissional deverá ter um pensamento crítico sobre algo que tem sido feito. “Pensar se estamos fazendo certo ou se podemos melhorar em alguma parte, para entregar sempre o melhor ao consumidor”, concluiu Nicolino.

Com esta postura, o profissional de e-commerce pode alçar novos horizontes e ser convidado para processos seletivos.

Para Togni, o mercado está em grande expansão e o básico que um profissional de e-commerce deve ter é saber utilizara o excel, ter visão analitica e ser proativo. Ela alerta que, num segundo momento, photoshop também será requirido.

Assim, um candidato de destaque, conforme orienta Nicolino, deve mostrar que, uma vez contratado, será um funcionário que estará disponível, terá a mente aberta para trabalhar em novas tarefas a qualquer momento, sem se focar totalmente a um escopo de trabalho pré-definido.

“Muitos cursos na área, palestras, eventos do setor e leitura diária são imprescindíveis para se manter atualizado e ser competitivo”, recomendou Nicolino.

 Confira as características de um Analista de e-commerce

De acordo com Togni, é possível começar a trabalhar em algumas empresas de e-commerce como estagiário durante uma graduação. Depois, pode-se trabalhar como assistente e analista, antes das posições mais altas.

“Com o desenvolvimento do operacional, que é o cadastro dos produtos no site, acompanhamento dos pedidos desde a captação até a entrega pro cliente, o assistente começa a ser bombardeado de informações, que ele poderá utilizar para melhoria de todos os processos, seja ele operacional ou estratégico. Pensando mais estrategicamente já é o passo para se tornar um Analista”, comentou Togni.

Acompanhe, em vídeo, quais as características de um Analista de e-commerce, segundo Nicolino:

Quais as características de um analista que o diferencia no mercado?

  • Pensamento estratégico;
  • Visão analítica;
  • Fazer não apenas o que o mercado ta fazendo, mas pensar fora da caixinha;
  • Estar antenado as tendências da área;
  • conhecer concorrência, mercado e principalmente seu produto e marca.

Quais atividades ele realiza durante o seu dia a dia?

  • Acompanhamento de pedidos e atualizações de status;
  • Gestão de estoque;
  • Cadastro / correção de cadastro de produtos;
  • Organização do calendário de email marketing, troca de banner da home, comunicação com o cliente;
  • Planejamento de promoções e campanhas.

Seja um profissional de e-commerce com diferencial 

Antes de iniciar a leitura deste tópico, confira como é rotina de um analista de e-commerce, de acordo com a Letícia Togni:

O analista de e-commerce é fundamental em uma operação, pois tem a função de analisar todos os processos de negócios, como o pagamento, a logística e as entregas, entre outros.  

Este profissional tem diversas outras atividades, como cadastrar produtos, emitir nota fiscal e atender clientes. Contudo, é importante sair do lugar comum e se diferenciar dos demais colaboradores.   

Gestores observam quem se esforça para se desenvolver, ter um pensamento mais analítico e ir além das expectativas.  

“Eu vejo o analista de e-commerce como um gestor de suas funções, gosto de deixá-los livres para criarem e repensarem o jeito que fazem as coisas, para que possam desenvolver o pensamento analítico e até critico do que estão fazendo”, disse a gerente de e-commerce.

Ela ressalta, ainda, que para estar no e-commerce e transitar por todos os setores da empresa, o profissional de e-commerce precisa ser comunicativo, ter um bom relacionamento interpessoal e senso de urgência. 

O profissional de e-commerce deve saber entender números e trabalhar com eles em seu benefício, entender as dores da operação e procurar formas de ajudar a reduzi-las. 

“Se você é um profissional que odeia estar na zona de conforto, na rotina de sempre ter as mesmas tarefas e não ter liberdade de propor melhorias, com certeza a área certa para você é o e-commerce,” comenta Nicolino. 

A gerente de e-commerce recomenda que o profissional não se esqueça de buscar conhecimento e cursos aprofundados.  

“Além disso, o profissional deve estar sempre disponível a aprender cada vez mais, independente do seu cargo, ser sempre humilde e ouvir os demais faz toda a diferença para o sucesso de uma operação”, conclui Nicolino. 

Agora que você conhece as características que um profissional precisa ter para trabalhar no e-commerce e deseja dar um passo a mais em sua carreira, matricule-se no curso de Analistas de Ecommerce. 

Invista em um curso que conta com professores experientes e receba um certificado reconhecido pela ABComm após concluir o curso.

Além disso, aproveite a oportunidade para fazer um networking de alto nível.

Letícia Togni é Analista de E-commerce na Kipling Brasil

Marcelle Nicolino é  Gerente de E-commerce da SURF CO.