Core Web Vitals: entenda a nova atualização do Google

Entenda como funciona a atualização do Google focada na experiência do usuário.

A atualização do Google veio, assim como diversas outras já realizadas pela empresa, para incorporar novas métricas que avaliam a experiência do usuário.

As novas métricas mudam as regras do jogo, pois o algoritmo do Google passa a considerar novos aspectos da experiência do usuário para classificar os resultados de busca. Como, por exemplo, a velocidade de carregamento de página e compatibilidade com dispositivos móveis.

As novas métricas fazem parte do Core Web Vitals, que avalia aspectos da experiência do usuário, como: a velocidade de carregamento da página, interatividade e estabilidade visual.

A atualização do Google é uma atualização da experiência na página. Ela começará a valer a partir de junho de 2021 e será finalizada em agosto do mesmo ano.

No entanto, o Google deixa claro que páginas com conteúdos de qualidade ainda serão priorizados nos resultados de busca. Ainda que haja algumas falhas na experiência do usuário. Portanto, uma boa experiência do usuário não substitui um conteúdo que seja relevante.

Assim, otimizações que combinam conteúdos relevantes e de qualidade, e que colocam a experiência do usuário em foco são peça chave para o sucesso a longo prazo de qualquer estratégia.

Neste artigo você irá entender como garantir o engajamento do usuário com o seu conteúdo e aumente seu tempo de permanência nas suas páginas. Evite que pessoas abandonem o seu site por conta do tempo de espera do carregamento de páginas ou por não encontrar o conteúdo que espera.

Quer aprender técnicas avançadas de SEO para posicionar suas páginas no topo dos resultados orgânicos do Google? No Curso Avançado de SEO Hacks você aprende técnicas e ferramentas avançadas de SEO para destacar o seu site ou loja virtual na internet.

Atualização do Google: Core Web Vitals

O Web Vitals são guias que o Google oferece para avaliar a experiência do usuário na sua página e para a otimização dessa experiência. Assim, a atualização do Google deixa claro que o buscador irá sempre destacar páginas com ótimas experiências para o usuário nos resultados do buscador.

O Core Web Vitals é uma categoria de métricas pertencente aos Web Vitals que se aplicam a todas as páginas na web.

A atualização do Google adicionou novas métricas que avaliam a experiência real do usuário como: usabilidade, velocidade de carregamento das páginas, interatividade e estabilidade do conteúdo durante o carregamento, dentre outras.

Cada um dos Core Web Vitals representa um aspecto da experiência do usuário. Eles são mensuráveis e refletem a realidade da experiência focada no usuário.

Desta forma, os profissionais devem focar em otimizações que consideram a experiência do usuário para alcançarem os melhores resultados nas buscas do Google.

Atualização do Google
  • Largest Contentful Paint (LCP): mensura a velocidade de carregamento de uma página pelo tempo de renderização até o momento de carregamento do maior elemento da página. O LCP deve ser de até 2,5 segundos a partir do momento em que a página começa a carregar
  • First Input Delay (FID): mensura a interatividade do site. As páginas têm que ter um FID de 100 milissegundos ou menos para que o usuário tenha uma resposta rápida e não abandone a página. Este é o tempo de resposta do primeiro clique até o carregamento completo do conteúdo.
  • Cumulative Layout Shift (CLS): mensura a estabilidade visual do site. As páginas devem manter um CLS de 0,1 ou menos. Sabe quando um elemento muda de lugar durante o carregamento da página? O CLS irá mensurar isso.

Como a atualização do Google impacta o meu site?

Um estudo realizado pelo Google comprovou que 24% dos usuários estão menos inclinados a abandonar os sites que estejam de acordo com o Core Web Vitals. Agora, imagine você ter 24% mais tráfego no seu site?

Este dado comprova a importância de implementar melhorias no seu site que visam uma boa experiência do usuário.

A atualização do Google nada mais é do que um alerta a todos os profissionais para que eles se atentem não só para a velocidade de carregamento das páginas, mas à estabilidade do conteúdo no carregamento e a velocidade de respostas às interações realizadas no site.

Sendo assim, a atualização do Google deixa claro a relevância da experiência de acesso à página.

O Core Web Vitals são métricas que orientam estratégias de SEO, pois são importantes fatores de ranqueamento do Google. Portanto, implementar as otimizações propostas pelo Core Web Vitals resultam em um melhor posicionamento nos resultados do buscador.

Quais métricas a atualização do Google avalia?

Como dito anteriormente, o Core Web Vitals são um conjunto de métricas que avaliam importantes aspectos da experiência real do usuário.

A atualização do Google que incorpora tais métricas ajuda os profissionais a avaliar a velocidade, interatividade e estabilidade visual das páginas da web. E ainda, cada um dos Core Web Vitals possui valores de referência para que desenvolvedores entendam qualitativamente os pontos de melhoria.

Portanto, conheça mais a fundo as métricas que compõem a atualização do algoritmo do Google para o ranqueamento de páginas nos resultados de busca.

Largest Contentful Paint (LCP)

O Largest Contentful Paint (LCP) é a métrica que avalia o tempo de renderização do maior elemento da página.

O ideal é que o tempo de carregamento da página seja de 2,5 segundos.

Para assegurar que o seu site está atingindo este valor para a maioria dos usuários o ideal é medir 75% dos carregamentos de páginas segmentando em mobile e desktop.

Atualização do Google

Essa métrica que faz parte da atualização do Google e substitui outras usadas anteriormente. São elas: First Meaningful Paint (FMP) e Speed Index (SI) que capturam a experiência de carregamento das páginas a partir do primeiro clique.

No entanto, elas eram complexas e difíceis de entender, além do que elas estão constantemente erradas. Desta forma, ambas não conseguem apresentar a realidade e dizer quando o conteúdo principal da página é carregado.

Conforme o time de desenvolvedores do Google detalha, há algumas formas de otimizar seu LCP.

  1. Otimize o seu servidor;
  2. Leve os usuários para um CDN próximo a eles;
  3. Ativação do cache;
  4. Antecipar conexões de terceiros;
  5. Bloquear JavaScript e CSS.

First Input Delay (FID)

O First Input Delay (FID) está intimamente relacionado à primeira impressão que o usuário terá dentro do seu site.

Essa métrica avalia o quão responsivo o seu site é quando um usuário tenta interagir com suas páginas.

Para oferecer uma boa experiência para o usuário os sites devem ter um FID de 100 milissegundos ou menos.

Uma forma de assegurar que você está atingindo a maioria dos usuários um bom direcionamento é medir 75% dos carregamentos de páginas segmentando em mobile e desktop.

Atualização do Google

O FID mensura o tempo desde o momento em que o usuário deu o primeiro clique na sua página, seja em um link ou botão, até o momento em que o navegador está realmente habilitado para processar o evento em resposta àquela interação.

Mas, porque a atualização do Google considera somente a primeira interação? O time de desenvolvedores do Google explica que:

  • Essa é a primeira impressão que o usuário tem e irá definir sua percepção geral do site;
  • O maior problema de interatividade que vemos na web acontece durante o carregamento da página. Otimizar a primeira interação do usuário com o site é somente um passo para melhorar a interatividade na web como um todo;
  • A separação de métricas que mensuram a velocidade do primeiro input em um site e métricas que mensuram a velocidade depois que a página já foi carregada tem um motivo. Ela faz com que as métricas forneçam dados direcionados ao problema para os profissionais implementarem melhorias.

Enfim, as formas de melhorar o FID são:

  • Reduzir o impacto de códigos de terceiros
  • Reduzir o tempo de execução do JavaScript
  • Minimizar o trabalho da sua thread principal
  • Mantenha as contagens de solicitações baixas e os tamanhos de transferência pequenos

Cumulative Layout Shift (CLS)

O Cumulative Layout Shift (CLS) mede a estabilidade visual da página.
Sabe quando você está navegando em um site e repentinamente um elemento muda de posição? É sobre isso que essa métrica fala.

As mudanças inesperadas no layout da página ocorrem porque os elementos carregam de forma dessincronizada ou, porque os elementos DOM são adicionados dinamicamente à página, acima do conteúdo existente.

Atualização do Google

Para ter uma boa experiência do usuário o CLS do site deve ser de 0.1 ou menos.

Assim como as métricas acima, para assegurar que você está atingindo a maioria dos usuários, um bom direcionamento é medir 75% dos carregamentos de páginas segmentando em mobile e desktop.

Portanto, as formas de melhorar o CLS são:

  • Sempre incluir atributos de tamanho padrão nas suas imagens e vídeos. Isso assegura que o navegador conseguirá alocar o espaço correto no documento enquanto a imagem carrega;
  • Não insira um conteúdo em cima de outro já existente. Somente quando isso partir de uma interação do usuário;
  • Utilize uma API que irá diminuir o tempo de carregamento da página.
  • Tenha um espaço predeterminado para anúncios no seu site e conteúdos dinâmicos.

Outras métricas do Core Vitals

O Google informa que o Web Vitals é uma iniciativa da empresa para fornecer um guia unificado de sinais de qualidade essenciais para a entrega de uma boa experiência do usuário.

E com a atualização do Google que apresenta o Core Web Vitals, o Google fornece outras 3 métricas que ajudam os profissionais a medir a qualidade da experiência no site. São elas: Mobile Friendly, Navegação Segura e Sem intersticiais intrusivos.

Mobile friendly

Em 2015 o Google viu a necessidade de incorporar métricas que avaliassem a experiência do usuário em dispositivos móveis, assim a métrica Mobile Friendly que ficou popularmente conhecida de “Mobilegeddon”.

A partir de então, o Google passou a priorizar nos resultados de busca páginas que ofereciam uma boa experiência mobile.

Atualização do Google

A atualização do Google de 2015 afetou somente o ranqueamento de buscas em dispositivos móveis em todas as línguas do globo e se aplica a páginas individuais e não a sites inteiros.

Para tornar os resultados mais relevantes para os usuários, no ano de 2018 houve igualmente uma atualização do Google que incorporou o Mobile First Index. Assim, a versão mobile dos sites passou a ser a principal versão considerada na hora de ranquear as páginas nos resultados de busca.

Para saber se o seu site é Mobile Friendly é possível verificar páginas individuais com o Mobile-Friendly Test.

Navegação segura

Diariamente o Google analisa milhares de URLS para determinar se elas apresentam algum tipo de risco para quem navegar por aquela página. Desta forma, se o Google entender que o seu site representa uma ameaça para o usuário e não é seguro ele não irá aparecer nos resultados de busca.

O protocolo HTTPS que protege os dados na comunicação entre o computador e o servidor passou a ser um dos sinais de ranqueamento do Google.

Portanto, caso você tenha dúvidas o próprio Google fornece uma ferramenta para avaliar o status da segurança de um site.

Sem intersticiais intrusivos

Ainda que diversas páginas tenham se tornado mobile friendly o Google constatou que estas mesmas páginas mostram diversos “intrusive interstitials” ou “intersticiais intrusivos” para os usuários.

Estes são pop ups que ofuscam o conteúdo principal da página e prejudicam a experiência do usuário, principalmente em telas menores como nos smartphones.

Como mensurar o Core Web Vitals?

Juntamente com a atualização do Google, a empresa atualizou suas ferramentas de análise. O Lighthouse e o PageSpeed Insights agora exibem informações sobre o Core Web Vitals. Ainda mais, o Google oferece um relatório no Search Console que auxilia os profissionais a realizar melhorias no site.

Por fim, é possível também utilizar uma extensão do Chrome para medir o Core Web Vitals, o Web Vitals Chrome Extension. Dessa maneira, os profissionais conseguem acessar o Chrome User Experience Report e mensurar dados reais sobre cada Core Web Vital. Essa é uma forma rápida e eficiente de acessar dados sobre o desempenho do site, sem precisar utilizar outras ferramentas de análise

Em resumo, todas as ferramentas apresentadas acima tem o objetivo de facilitar a vida de desenvolvedores e demais profissionais. Elas visam entender e melhorar as métricas que mensuram a experiência do usuário em seu site.

Portanto, a atualização do Google, da mesma forma que a atualização das ferramentas de análise serve para que os sites consigam focar na melhor entrega de experiência do usuário.

Seja um expert nas principais ferramentas do Google para atrair e reter clientes. Aprenda na Prática SEO, Analytics e Ads com o Curso de Especialista em Google Marketing.

LEIA TAMBÉM

[ARTIGO] O Google Search Console Insights agora está disponível para todos
[ARTIGO] Como Fazer Marketing Digital
[ARTIGO] SEO e Redes Sociais – Como eles se relacionam?