E-commerce: Mauricio Salvador fala sobre o mercado eletrônico brasileiro.

Nosso CEO Mauricio Salvador, conversou com o pessoal da ABCom – Associação Brasileira de Comercio Eletrônico, sobre o mercado de e-commerce Brasileiro. Confira a entrevista:

 

ABCom: Como você avalia o atual estágio do comércio eletrônico no Brasil?

Mauricio Salvador – O e-shopper brasileiro é maduro o suficiente para comprar categorias complexas tais como moda e perfumes. Isso mostra que não há mais barreiras psicológicas no consumidor para comprar online por aqui. Do ponto de vista das lojas virtuais, também estão em linha com o mercado internacional no que diz respeito às estratégias de marketing e tecnologia.

Por outro lado, há um grande atraso na questão logística, mais por culpa de políticas públicas, falta de investimentos em infraestrutura e segurança e o maior problema de todos, a péssima qualidade dos serviços dos Correios, o que impede a entrada de players internacionais.

 

ABCom: Quais os desafios atuais e as reais oportunidades?

Mauricio Salvador – O maior desafio é do ponto de vista logístico. Há soluções que podem reduzir a dependência dos Correios, tais como o uso de lockers e parcel shops, amplamente utilizados nos Estados Unidos e Europa. A segurança também afeta o e-commerce, uma vez que há centenas de áreas de risco onde os caminhões de entrega sequer conseguem chegar.

 

ABCom: Quais as tendências?

Mauricio Salvador – O maior impacto no e-commerce nos próximos anos será dado pelo mobile e pelo uso de realidade virtual.

 

ABCom: Como deve se portar o desempenho do e-commerce brasileiro neste ano?

 Mauricio Salvador – A previsão de crescimento é de 8% em relação ao ano passado, alcançando um faturamento de 52 bilhões de reais.

 

ABCom: Essa tendência do fim do frete grátis e das vendas de serviços veio para ficar?

Mauricio Salvador – As lojas virtuais já fizeram as contas e verificaram que não é possível ser rentável oferecendo frete grátis. Dessa forma, aos poucos se constrói a cultura no consumidor de que para ter a comodidade de receber suas compras em casa, é preciso pagar pelo frete.

 

ABCom: Hoje a maioria do e-commerce brasileiro ainda dá prejuízo. Tem alguém dando lucro? Em quanto tempo o lucro deve se tornar realidade?

Mauricio Salvador – Há milhares de lojas virtuais de micro, pequeno e médio portes que são lucrativas. O problema da lucratividade nos grandes é a luta para serem os maiores e melhores a qualquer preço, comprando tráfego caro e subsidiando frete. A partir do momento que o dinheiro dos investidores diminui, essa visão muda.

 

Quer atualizar seu currículo e se destacar no mercado digital? Descubra como.