E-commerce na Rússia: descubra como o país da Copa de 2018 compra online

Confira como é o e-commerce na Rússia

A Rússia é um país peculiar, pois ao mesmo tempo faz parte da Europa e da Ásia. Contudo, é um país que, assim como os Estados Unidos, marca presença constante no noticiário sobre política internacional, na Economia e nos esportes.

Em 2018, a Rússia recebe pela primeira vez uma Copa do Mundo e assim como o Brasil, o país também enfrenta dificuldades econômicas e escândalos de corrupção, além de ser apaixonado por futebol.

No meio de tanta correria para finalizar obras atrasadas e sob ameaça constante de greves e paralisações, há um setor que ignora crises e Copas, continua crescendo e chamando a atenção de investidores internacionais: o comércio eletrônico.

Para conhecer um pouco mais sobre como andam as vendas online na Rússia, entrevistamos Igor Subow, presidente do comitê de Logística da “The National Distance Selling Association” da Rússia, ou seja, a Associação Russa de Vendas a Distância.

De acordo com os dados da associação, as vendas no e-commerce russo em 2017, geraram receitas superiores a €15,99 bilhões, um crescimento de 22% em relação ao ano anterior.

Se você quer vender para esse mercado, saiba de uma particularidade do e-commerce russo: as pessoas preferem pagar no momento em que recebem os produtos em casa, é o chamado “Cash on Delivery” ou “Dinheiro na Entrega”.

Sendo assim, as formas de pagamento mais usadas são: CoD (“Cash on Delivery”, com 70% de participação). Assim, a maioria dos clientes paga por suas compras apenas quando as recebe. “As razões para as pessoas escolherem este método são muito complexas, mas um dos motivos é a desconfiança com a segurança de seus dados na Internet”, explica Subow.

Com relação às outras formas de pagamento, 15% dos e-shoppers russos pagam usando cartão de crédito, 8% pagam por transferência bancária e 7% usam demais formatos eletrônicos (Yandex.Money, Webmoney etc.). O Paypal ainda é irrelevante por aqueles lados.

Assim como em outros países em desenvolvimento, os empresários russos enfrentam muitos desafios para lucrar com suas lojas virtuais. Segundo Subow, “os principais problemas enfrentados pelas lojas virtuais russas são causados por interferência governamental ou fruto da política de regulamentação”, comenta.

O E-commerce na Copa do Mundo

A Copa do Mundo gera muitas expectativas que vão além da performance das seleções, lances, dribles, atletas de destaque, números de gols e quem será o campeão. Em outras áreas, também se espera que, com aumento no fluxo de visitantes e turistas, haja incremento nas receitas, inclusive no comércio eletrônico.

Segundo dados da ABComm (Associação Brasileira de Comércio Eletrônico), a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, trouxe um incremento na venda online de televisores, no período que antecedeu a Copa (janeiro a maio de 2014), sendo que nos meses de Copa (junho e julho), o e-commerce teve retração de cerca de 8%, ou seja, as pessoas pararam de comprar online para assistir os jogos.

Contrariando o histórico brasileiro, para Subow, a realidade é que o mercado de e-commerce tem muitas esperanças, mas também precisa ser objetivo e aprender com os resultados dos últimos Jogos Olímpicos de Inverno. “De qualquer forma, em 2014, durante os Jogos, a mídia estava mantendo a questão do crescimento do comércio, mas, de fato, não percebemos nenhum crescimento”, completou.

Empresas que têm interesse em atuar no mercado de e-commerce russo precisam ter conhecimentos sobre quais as plataformas utilizadas e os produtos mais procurados pelos consumidores.

As categorias mais vendidas no e-commerce russo são, nessa ordem: Vestuário, Eletrodomésticos e Eletrônicos. Igor também comenta que as plataformas de e-commerce mais utilizadas, que são Bitrix24 e InSales. A plataforma Magento, uma das mais difundidas mundialmente, também é forte na Rússia.

Marketplaces na Rússia

Se você quer vender em marketplaces neste país, procure entender como os russos utilizam a Internet, antes de desenvolver suas estratégias de marketing digital. Além de ter uma cultura muito diferente do que estamos acostumados aqui no Brasil, na Rússia, as preferências são outras e as empresas locais sabem lidar melhor com essas diferenças, pois conhecem melhor os perfis de seus consumidores.

Google e Facebook são conhecidos na Rússia, mas o mecanismo de pesquisa mais popular por lá se chama Yandex .

yandex.com

As redes sociais locais são Vkontakte (VK – vk.com) e Odnoklassniki (Ok.ru).

vk.com

Há muitas coisas que são parecidas entre Brasil e Rússia. Por lá, os Marketplaces também são uma ótima forma de vender seus produtos no e-commerce, pois têm tido crescimentos anuais na faixa de 25%. De fato, são uma boa maneira de chegar aos consumidores russos, sem ter que gastar muito comprando mídia em outros canais. Veja quais são os marketplaces mais populares:

 

  • Market – é o maior buscador russo, portanto seu marketplace tem um grande alcance;
  • Amazon – a maneira mais fácil e simples. Os consumidores russos já utilizam esta plataforma;
  • eBay – não é tão popular quanto a Amazon, mas é um bom canal;
  • Avito – o Craigslist russo, onde qualquer um pode anunciar seus produtos;
  • Ozon – considerado como a Amazon russa.

Os cinco maiores players na Rússia

  1. Avito,
  2. Aliexpress,
  3. Yandex Market,
  4. Wildberries,
  5. DNS.

Como uma empresa brasileira pode vender na Rússia

Para ajudar quem pretende expandir seus mercados e vender online na Rússia, a revista Performance Digital pediu para o presidente da Associação Russa de Vendas a Distância, explicar o “caminho das pedras”. Assim você tem menos chances de enfrentar problemas. Confira algumas dicas:

É necessário que o vendedor se registre com a Autoridade Fiscal Federal Russa como contribuinte. As empresas estrangeiras podem se registrar como não residentes (uma filial da empresa) e como residentes com a formação de uma empresa subsidiária, que será formalmente considerada como uma empresa russa. Para estabelecer uma empresa de contabilidade fiscal na Federação Russa, são necessários documentos constituintes. O tempo de processamento é de cinco dias úteis.

Infelizmente, a legislação de importação do país é muito restrita, portanto, todos os embarques de produtos para Rússia ainda envolvem muita burocracia.

Para quem tiver interesse em saber mais desse mercado, pode entrar em contato com a National Association of Mail Order and Distance Selling Trade (NAMO), que pode facilitar o caminho das empresas interessadas em vender no território da Rússia:

 

Telefone: +7 (495) 973-2011

Email: info@namo.ru or help@namo.ru

Website: www.namo.ru