Logística no E-commerce: Por Onde Começar?

Essencial para qualquer comércio, a logística é a área de gestão responsável por providenciar informações, recursos e equipamentos para a execução de todas as práticas da empresa, seja ela virtual ou física. No comércio eletrônico, o termo também é muito conhecido como e-logística.

Essa prática engloba a gestão de muitas etapas e de setores diversos referentes ao produto, desde sua produção ou encomenda até a sua entrega. Por isso, merece muita atenção e dedicação em um e-commerce, afinal, uma logística boa e eficaz é sinônimo de clientes satisfeitos e fidelizados com a marca.

Dentre os principais itens que ficam sob cuidado da logística encontramos:

  • Recepção dos produtos entregues pelo fornecedor;
  • Estocagem e condicionamento da mercadoria;
  • Picking (deslocamento de  produtos para a preparação do pedido);
  • Entrega do produto ao cliente, bem como a retirada e/ou troca na casa dele (logística reversa);
  • Procedimentos para a resolução de problemas relacionados à entrega;
  • Cálculo do valor a ser cobrado pelo frete;
  • Contato com os Correios e/ou transportadoras.

Obviamente, existem diferentes modelos de negócios, para tais, a logística pode diferir. Um e-commerce que não tem estoque de mercadorias, encomendando seus produtos com um fornecedor à partir dos pedidos dos consumidores, como no caso dos que praticam dropshipping, por exemplo, não irá ter em seu planejamento a preocupação de onde armazená-los e de preservá-los. Em contra-partida, deverá estar atendo a prazos de encomenda de mercadorias, pois possuem influência direta sobre os prazos de entrega.

Cuidados sobre a estocagem de mercadoria

É muito importante considerar certos fatores sobre a mercadoria antes de definir o seu local de armazenamento. Produtos de pequeno porte podem ser armazenados em pequenas salas comercias, cômodos inutilizados ou ambientes similares. Mas, se você for trabalhar com produtos de médio e grande porte, esses ambientes não serão capazes de comportá-los.

Por isso, cuidado! Além disso, dependendo do produto com o qual você lide, talvez haja uma legislação de armazenamento específica para ele, como, por exemplo, no caso de botijões de gás.  Existem diferentes tipos de estocagem.

Descubra qual o ideal para você:

“Quintal”: quando o produto é armazenado em uma garagem, um quarto ou em outro cômodo que não é usado. Esse método de armazenagem é muito utilizado por empresas iniciantes e de pequeno porte.

Sala comercial: quando o produto é guardado em uma sala locada para isso. Essa estocagem é típica de empresas de médio porte. Na maioria das vezes, o local de armazenagem é também o local de gerenciamento, o escritório,  do e-commerce.

Armazém compartilhado:locação de espaço em um armazém, onde uma empresa terceirizada será responsável por seus processos de logística, desde a recepção da mercadoria até a entrega ao cliente.

Armazém locado individualmente:  ainda no perfil de espaço locado em um armazém, porém, quem cuida de toda a logística é você. Terceirizar o processo de gestão é uma alternativa.

Armazém privado: se trata de uma alternativa para empresas que grandes, pois há a construção de locais para desenvolver sua própria estrutura logística. Nesse caso, há muitos custos, como compra ou aluguel de terreno, construção do armazém; além dos custos de operação.

Sobre a distribuição e entrega dos produtos

Analisando os principais modelos de entrega e os associando ao seu local de estocagem e de atuação, você poderá projetar qual modelo impactará positivamente o seu e-commerce. Assim sendo, listamos abaixo as diferentes possibilidades para a distribuição de seus produtos.

Entrega própria: nesse modelo há vias de entrega diferentes que variam conforme o tamanho do negócio. Uma empresa que atende o país todo não pode realizar a entrega usando uma moto ou um carro, já um empresa local que atende somente à sua cidade pode considerar a alternativa!

Entrega terceirizada: a contratação de empresas transportadoras é uma das alternativas de terceirização da entrega. Dependendo do volume e da frequência das entregas, é possível a negociação de valores com a transportadora. Outra maneira de distribuir os produtos, que é muito comum no e-commerce, é a entrega via Correios. Essa alternativa pode ser usada independentemente do tamanho do negócio.

Sobre o custo do frete: a taxa poderá ser explícita ao seu cliente no site, havendo cobrança, seja realizado por terceirização ou por frota própria da sua empresa. Normalmente, quando a entrega é feita via Correios, o cliente pode escolher dentre as opções que são ofertadas pelo próprio Correios.  Há ainda a possibilidade de frete grátis no seu e-commerce, onde você arca com essa despesa; podendo embutir um determinado valor fixo (que será separado do lucro e direcionado ao frete) no valor cobrado pelo produto.


 

Quer saber mais sobre este tema e aprender com alguns dos melhores profissionais de E-Commerce do mercado? Então vem pra Comschool. Conheça o Curso de Logística e Engenharia de Vendas no Ecommerce.