M-Commerce: 41% fizeram compras por apps nos últimos seis meses

Pesquisas que procuram entender o comportamento de consumo do brasileiro sempre revelam dados curiosos e não foi diferente com o Opinion Box, em levantamento realizado em parceria com o portal Mobile Time. Dessa vez, o objetivo era entender os hábitos de m-commerce através de aplicativos em smartphones. Foram realizadas 1.247 entrevistas online com usuários de smartphones, sendo 54% do público formado por mulheres e 46% por homens, de todas as classes sociais com 16 anos ou mais, em 445 cidades de todos os estados do país.

De acordo com Christian Reed, CEO do Opinion Box, o objetivo da pesquisa era medir alguns aspectos relacionados ao consumo e ao uso do celular, que nunca haviam sido mensurados no país. “Por exemplo: quem tem smartphone faz compras através de apps? Quais são os hábitos de compras das pessoas? Esses hábitos variam de acordo com o sexo, idade ou classe social? Quais são os apps mais utilizados? E quais são os mercados mais competitivos?”, indaga o executivo.

41% dos entrevistados responderam que realizaram pelo menos uma compra através de aplicativo nos últimos seis meses. Sendo que 43% dos homens e 39% das mulheres responderam afirmativamente. “É interessante notar que entre as pessoas das classes A e B, o índice de compras foi maior: 49% das pessoas dessa fatia fizeram compras pelo celular nos últimos 6 meses, frente a 37% das pessoas das classes C, D e E”, afirma Reed. Outro fato interessante é que o uso é maior entre pessoas com idades entre 18 e 45 anos, o que corresponde a 44% dos que fizeram compras.

Os entrevistados também foram questionados quanto à categoria de produtos adquiridos por meio do app no smartphone. Os eletroeletrônicos estão no topo da lista e foram adquiridos por 30% das pessoas. Sendo que 41% dos homens e 20% das mulheres mencionaram ter adquirido esses produtos. Os acessórios de moda estão na segunda posição do ranking, com 29% das compras realizadas. Neste quesito, destaque para as mulheres, com 42% das compras realizadas, sendo a maioria jovens, e 16% homens. Em seguida vem as roupas, com 26%, comida (25%), livros (25%), eletrodomésticos (19%), artigos esportivos (16%), cosméticos e higiene pessoal (13%), CDs ou DVDs (13%) e utensílios domésticos (13%).

Os respondentes também foram convidados a apontar até três aplicativos que costumam usar para realizar as compras pelos smartphones. Os nomes mais apontados pelos brasileiros foram Mercado Livre (27,4%), AliExpress (19,7%), OLX (13,5%), Americanas.com (11,4%) e iFood (10,9%). Cabe ressaltar que, nesta lista, a OLX não permite a compra efetivamente pelo app, apenas fornece o contato entre consumidor e vendedor. As marcas de destaque com 5% a 10% das citações foram Submarino, Dafiti, Extra, Peixe Urbano, Casas Bahia e Wish. E com 3% a 5%: Privalia, Netshoes, Buscapé, Ponto Frio, Saraiva, Groupon, Amazon, Ebay e Magazine Luiza.

As pessoas também foram questionadas quanto à contratação de serviços por meio de aplicativos instalados nos smartphones. Nos últimos seis meses, 18% dos brasileiros afirmaram ter solicitado um táxi via app. 30% disseram utilizar o 99 Táxis com mais frequência, 25% mencionaram fazer uso do Easy Taxi e 10% citaram o Uber.

Também nos últimos seis meses, 26% das pessoas afirmaram ter solicitado refeições via apps. O delivery de comida mais utilizado pelas pessoas é o iFood, mencionado por 50% dos entrevistados. Outras marcas que figuram com relevância na pesquisa são: Pedidos Já, China In Box, hellofood, Habib’s, com menos de 5% cada.

12% dos entrevistados também disseram já ter feito reservas de hospedagem nos últimos seus meses. Entre os apps de reserva mencionados como mais utilizados figuram: Booking e Htl Urbano, com 15% a 17% cada; Decolar.com e Trivago, com 12% cada; Hoteis.com e Trip Advisor, menos de 10% cada.

Além disso, 21% dos entrevistados confirmaram ter comprado ingressos via apps. O Ingresso.com foi o mais citado como app de ingresso utilizado com mais frequência por 43% dos entrevistados. Em seguida, aparecem Cinemark e Ingresso Rápido, com menos de 10% cada. “O interessante é notar que a questão envolvia a compra de ingressos em geral, seja para cinema, teatro, shows, entre outros eventos. Duas das marcas citadas comercializam ingressos para diversos tipos de eventos, mas a outra se refere a uma atividade específica. O destaque é importante”, avalia Christian Reed.

O Opinion Box também buscou entender o comportamento das pessoas quanto ao uso de apps de bancos. 64% dos entrevistados afirmaram usar os aplicativos para realização de transações bancárias. Entre os serviços utilizados, 98% mencionaram consultar saldo ou extrato, 54% pagam contas e 45% realizam transferências.

A conclusão, na visão de Reed, é de que há muito espaço para crescimento. “Vemos uma baixa penetração em diversos segmentos. A tendência é de que a competição comece a se intensificar. Mas a principal lição, ao meu ver, é de que os usuários de smartphones são diferentes, mas estão ficando cada vez mais parecidos”, explica.

A margem de erro é de 2,8 pp com nível de confiança de 95%.