Os impactos da Amazon no e-commerce do Brasil

Os impactos da Amazon no e-commerce do Brasil

A Amazon é a gigante do setor de ecommerce e inspira grande confiança por parte de seus clientes. Além disso, é considerada a empresa com melhor reputação nos Estados Unidos, estando a frente da Apple e, até mesmo, do próprio Google.

Veja o vídeo com Maurici Junior e Maurício Salvador falam sobre como o crescimento da Amazon impacta o ecommerce no Brasil e, principalmente, se isso pode ser um fator positivo ou negativo para as lojas virtuais brasileiras.

Números da Amazon no mundo:

  • A Amazon tem mais de 304 milhões de contas ativas
  • 44% do share do e-commerce norte americano é da Amazon
  • Em alguns países na Europa, a Amazon também tem quase a metade do share do mercado
  • Nos estados Unidos, mais de um terço das vendas no e-commerce da Black Friday são feitas na Amazon
  • Curiosidade: Amazon emprega mais de 450 mil robozinhos em seus centros de distribuição
  • Em 2015 a Amazon passou o Google em buscas de produtos nos Estados Unidos.
  • Um estudo da BloomReach mostrou que mais de 44% dos e-shoppers americanos já entram direto na Amazon quando querem procurar algum produto
  • 54 milhões de clientes são Amazon Prime, o que grante uma receit de mais de U$ 5,4 bi por ano
  • 78% desses clientes Amazon Prime, dizem que o principal motivo de serem Prime é a entrega gratuita em dois dias
  • A Amazon tem mais de 2 bilhões de produtos no catálogo
  • Desses, somente 20 milhões elegíveis no Amazon Prime
  • Um cliente Prime gasta em media 1.100 dolares por ano, contra 600 dolares de um não Prime
  • A Amazon iniciou sua operação oficial no e-commerce brasil em 2012, vendendo livros digitais
  • Em 2014 iniciou a venda do Kindle e livros impressos
  • Em abril de 2017 abriu seu marketplace para vendedores de livros
  • Em outubro de 2017 abriu o marketplace da categoria eletrônicos
  • Em novembro de 2017 abriu o marketplace da categoria casa e cozinha
  • Em janeiro de 2018 abriu o marketplace das categorias Celulares e Telefonia, Informática e Acessórios, Ferramentas e Construção, Games e Consoles e Papelaria e Escritório.
  • O anúncio da chegada da Amazon no brasil em 2017 derrubou o valor de mercado das ações do Mercado Livre na Nasdaq em mais de um bilhão de dólares
  • Para reduzir os impactos, o Submarino, por exemplo já lançou o Submarino Prime (custa 79 reais por ano).
  • A comissão de vendas que a Amazon cobra é menor que a média dos marketplaces brasileiros, talvez isso force uma queda nas taxas do mercado.
  • O crescimento da Amazon no Brasil deve pressionar as empresas de logística por melhores níveis de serviço. Ex: same day delivery, two days delivery etc.
  • Deve aumentar o modelo de entregas em parcel shops.
  • Deve aumentar a profissionalização dos lojistas
  • Num médio prazo, provavelmente até o valores de CPC do Google devem ser impactados.
  • A participação das micro e pequenas deve aumentar no e-commerce do Brasil
  • O salário dos gerentes de e-commerce deve aumentar
  • Vão ser criadas novas profissões tais como Analista de ASO – Amazon Search Optimization

Para quem a Amazon é boa?

  • Para o consumidor, pois traz mais variedade e experiência
  • Micro e pequenos empreendedores do e-commerce
  • Empresas que querem alcançar mercados externos
  • Para indústria que quer vender direto

Para quem a Amazon é ruim?

  • Pro consumidor, pois concentra o mercado
  • Para quem atende mal no e-commerce
  • Grandes players e marketplaces
  • Pros fornecedores de tecnologia e plataformas, de forma geral

A Amazon está de olho na categoria Supermercados:

  • Compraou a Whole Foods por $ 13,7 bi
  • Essa categoria tem frequencia de compra alta
  • Produtos de marca própria que tem alta lucratividade
  • Lançou o Amazon Dash
  • Lançou o Amazon Fresh
  • Está investindo em lockers refrigerados

Com a abertura do marketplace da Amazon no Brasil, em 2017 (desde 2012 a Amazon já vendia no e-commerce brasileiro, livros e conteudos digitais), muitos ecommerces e marketplaces nacionais começaram a se preocupar com os impactos de sua presença no mercado brasileiro.

Quer blindar seu e-commerce? Faça o curso de gerente de e-commerce e marketing digital e o Programa Avançado em E-commerce.