Dicas de produção de conteúdo que ranqueia no Google

A produção de conteúdo para aparecer nos primeiros resultados do Google e conquistar mais tráfego orgânico é um desafio para muitos profissionais. Essa é uma tarefa que demanda empenho e um pouquinho de paciência, mas com certeza trará bons frutos.

Para ajudar você com a produção de conteúdo que ranqueia nos primeiros resultados do Google, nós conversamos com Rodrigo Botinhão.

Para ajudar você com a produção de conteúdo que ranqueia nos primeiros resultados do Google, nós conversamos com Rodrigo Botinhão.

Confira dicas valiosas para você produzir um conteúdo otimizado para SEO para se posicionar nas primeiras posições do maior site de buscas do mundo, o Google.

Como saber se minha página está no Google?  

Ter um site não é garantia de que ele aparecerá nos resultados do Google. Principalmente nos primeiros resultados do Google que é onde os usuários costumam procurar por respostas.

Segundo o próprio Google há alguns passos que você deve seguir para corrigir os problemas que deixam o seu site de fora dos resultados do Google.

Mas antes, você precisa ter certeza se o seu site não está mesmo no Google ou se ele está apenas sendo ranqueado em uma posição baixa. A dica é procurar o seu site no Google com site:nome_do_domínio.

Caso você não encontre o seu site ou página nos resultados podem existir 2 problemas, de indexação ou de rastreamento.

Rastreamento e Indexação do Google

Primeiramente, para o Google adicionar novas páginas aos seus resultados de busca ele precisa estar em constante busca. E como ele encontra essas páginas?

De suas maneiras. Ou o Google descobre novas páginas a partir de outras páginas que ele já conhece, ou o dono do site pode enviar o sitemap para o Google rastrear.

Assim, o Google pode visitar a página, rastrear ela para entender o que há dentro dela e decidir qual posição dos resultados de busca ela ocupará.

A indexação do Google serve para o buscador identificar o conteúdo dentro de uma página. E então, o buscador guarda as informações no índice do Google, um vasto banco de dados da ferramenta.

Como o Google ranqueia os resultados de busca?

Para classificar os resultados de busca o Google utiliza um conjunto de métricas chamado Core Web Vitals que avalia aspectos a experiência do usuário.

Independente do seu esforço para se adequar ao Core Web Vitals o Google sinaliza que a produção de conteúdo de qualidade sempre será priorizada nos resultados de busca, então este deve ser sempre seu ponto de partida.

O Core Web Vitals reúnem 3 métricas, que são:

  • Largest Contentful Paint (LCP): mensura a velocidade de carregamento de uma página pelo tempo de renderização até o momento de carregamento do maior elemento da página. O LCP deve ser de até 2,5 segundos a partir do momento em que a página começa a carregar
  • First Input Delay (FID): mensura a interatividade do site. As páginas têm que ter um FID de 100 milissegundos ou menos para que o usuário tenha uma resposta rápida e não abandone a página. Este é o tempo de resposta do primeiro clique até o carregamento completo do conteúdo.
  • Cumulative Layout Shift (CLS): mensura a estabilidade visual do site. As páginas devem manter um CLS de 0,1 ou menos. Sabe quando um elemento muda de lugar durante o carregamento da página? O CLS irá mensurar isso.

As métricas acima são premissas para que o seu site entre para o ranking do Google, no entanto, eles não são definitivas para você aparecer nos primeiros resultados do Google.

Como falamos acima, a produção de um conteúdo de qualidade otimizado para SEO é essencial.

Confira as dicas do professor Rodrigo Botinhão para produção de conteúdo que ranqueia no Google.

É possível desenvolver um conteúdo utilizando técnicas de SEO para posicionamento nas buscas orgânicas. Existem processos e ferramentas para organizar sua produção de conteúdo que auxiliam (e muito!) nessa definição e organização da estratégia.

O primeiro passo é organizar a sua vida para produção de conteúdo e estruturá-los da melhor maneira possível. Neste link você poderá acessar um documento de exemplo, onde organizamos todas as pautas e conteúdo a serem produzidos com base em volume de buscas.

Como fazer uma pesquisa de palavras-chave?

O primeiro passo é entender se o conteúdo que será produzido possui algum volume de busca nos resultados do Google. Existem diversas ferramentas que realizam esse trabalho, como: SEM Rush, UberSuggest, Keywords Every Where e Keyword Planner.  

Neste exemplo utilizaremos a ferramenta do Ubersuggest que possui algumas consultas gratuitas diárias. 

No exemplo acima, utilizamos a consulta “ração para cachorro” como base para a construção de um novo conteúdo.  

Assim, há alguns pontos importantes que precisamos levar em consideração com o resultado da consulta pela palavra-chave: 

Volume de buscas

Nem sempre um volume de buscas com o valor alto é garantia de que teremos sucesso criando um conteúdo. Em geral, busque palavras-chave que estão relacionadas diretamente ao seu negócio e que tenham a intenção de compra.

A palavra-chave “vestido” por exemplo possui mais volume de busca do que “vestido para formatura preto”. Porém, com a segunda as chances de você conseguir se posicionar na busca orgânica e conquistar vendas é maior. 

Não há uma regra sobre qual o volume de buscas ideal para se trabalhar uma palavra-chave. Isso dependerá muito do segmento de atuação. No geral, preocupe-se com palavras-chave de cauda longa, cujo volume de buscas será menor e as chances de conversão serão maiores. 

SEO Difficulty

A maioria das ferramentas possui esse nível indicador de dificuldade de competir pela palavras-chave. Quanto maior for esse número, maior será a dificuldade de ranquear nas buscas por meio dessa palavra. Portanto, aqui vale uma análise volume de busca X SEO difficult para encontrar o termo ideal para a construção do seu conteúdo. 

Assim, com a ferramenta do UberSuggest você encontra palavras-chave interessantes com o nível de SEO Difficult abaixo de 70 sendo possível utilizá-las como base na construção do conteúdo. 

Como realizar a produção de conteúdo?

Títulos  

Aqui o que mais vale é ser direto e conciso. Do ponto de vista de SEO, você terá no máximo 60 caracteres para definir um título e ter a visibilidade total na busca orgânica. Além disso a recomendação é utilizar a palavra-chave preferencialmente no início do título. 

O título também precisa ser direto e sem pausas, vírgulas ou pontos. Evite utilizar o nome da empresa no final para não comprometer a visibilidade na busca orgânica. 

URLs amigáveis  

Um dos principais propósitos das URLs é a organização dos conteúdos e páginas dentro de um site. Por que não organizá-los de acordo com as palavras-chave que fazem parte do projeto de SEO? A premissa aqui assumir que cada página comercial deverá conter uma palavra-chave como balizador para o trabalho de otimização. 

Um e-commerce, por exemplo, poderá ter toda a sua base de categorias e subcategorias organizada de acordo com as palavras-chave definidas na estratégia. Da mesma maneira, todo o conteúdo de um blog poderá ser organizado também com base nessas palavras-chave. 

Criação de conteúdo

Em geral, conteúdos mais extensos posicionam melhor nas buscas orgânicas. Porém, não devemos levar isso como premissa para a construção deles. Procure realizar a pesquisa e analisar os resultados antes de começar a produzir. Existem muitas buscas em que ainda há oportunidades de construir um conteúdo com qualidade sem se preocupar com o tamanho. 

Assim como no exemplo da planilha, há algumas regras que foram criadas para a elaboração do conteúdo: a palavra-chave deverá ser exibida no início de cada conteúdo e não poderá exceder 0,5% do total do conteúdo a ser exibido. A cada 200 palavras, utilizamos a palavra-chave. 

Além disso, a estrutura do conteúdo também poderá ser levada em consideração no planejamento. Definir os subtópicos (H2, H3, H4, etc) poderá ajudar na estratégia de otimização da página uma página. Veja no exemplo da construção do conteúdo com a palavra-chave “suor nas axilas”, como os subtópicos também são utilizados para compor toda a estratégia de otimização. 

Qualidade da página

Quando realizamos esse tipo de planejamento de projeto de SEO para um domínio algumas questões devem ser respondidas.

  • Qual é o propósito do site?
  • Quais são as palavras-chave e os conteúdos mais aderentes ao segmento?
  • Que trabalho a concorrência está realizando nesse sentido?
  • Qual é a melhor estrutura para organizar o trabalho pensando no domínio como um todo? 

Uma vez respondidas as questões e com todas as informações reunidas, a qualidade não só da página, mas do trabalho em geral dependerá de como os conteúdos estão sendo organizados por meio de links internos, divisão de separtamentos, categorias e subcategorias para um e-commerce, e estrutura de silos de conteúdo para um site de serviço ou blog.

Campo Semântico  

O campo semântico também possui volume de buscas sendo muito válido na parte do planejamento. Ele pode compor o portfólio de palavras-chave de um conteúdo com o objetivo de aumentar o alcance de posicionamento deste para novas palavras nas buscas orgânicas. 

Em um exemplo prático, se você estiver construindo um artigo sobre cachorro, considere também utilizar a palavra-chave “melhor amigo do homem” como campo semântico. Além disso, por essa palavra-chave ter um volume de buscas considerável ela poderá também ser um subtítulo para compor o desenvolvimento. 

As ferramentas de pesquisa de palavras-chave retornam às palavras-chave relacionadas ao termo pesquisado nas buscas facilitando o nosso trabalho de entender quais são relevantes e quais poderão ser utilizadas. O próprio Google nos resultados da busca costuma sugerir pesquisas relacionadas no final das páginas. Essas pesquisas são estão sendo relacionadas porque possuem volume de buscas suficiente. 

Os erros mais comuns na hora de produzir um conteúdo de sucesso para ranquear no Google 

Os erros mais comuns e principais que ocorrem antes do planejamento e da construção do conteúdo são os seguintes: 

Não levar em consideração o domínio como um todo para o projeto 

Existem organizações que tratam um projeto de SEO e toda a estratégia somente para uma área de conteúdo (blog) deixando completamente fora a área para o produto ou e-commerce. 

Do ponto de vista de planejamento, esse é o pior erro a cometer porque há palavras-chave e conteúdo específicos que devem ser utilizados no produto ou no e-commerce, visando aumentar a conversão por meio do tráfego orgânico. Ter um blog ou agregador de conteúdo no domínio servirá como suporte para o projeto como um todo. 

Fazer a produção de conteúdo só para SEO 

Encontre as palavras-chave e defina toda a estrutura com base em volume de buscas que já é meio caminho andado, porém, você precisa ter certeza de que o conteúdo produzido pode ser útil, primeiro para os visitantes do site e, posteriormente, para atender aos requisitos da estratégia definida. 

Um exemplo clássico é a utilização de outros conteúdos disponíveis em outros sites para compor a criação de um conteúdo. A pergunta que deverá ser feita é: devo criar esse conteúdo uma vez que ele já existe e está disponível? Qual é o objetivo de criar esse conteúdo sendo que o conteúdo original provavelmente posicionará antes nos resultados da pesquisa orgânica? 

Sobre Rodrigo Botinhão

Rodrigo Botinhão é fundador na Gear SEO – Agência Especializada em SEO, com mais de 8 anos de experiência com Marketing Digital para o setor de e-commerce e serviços e também professor da ComSchool há cerca de 2 anos lecionando desde o básico até estratégias avançadas com SEO. 

Botinhão atualmente é responsável por desenvolvimentos de projetos de SEO envolvendo Estratégia, Desenvolvimento de Conteúdo, Análise Técnica On-Page e Link Building e está cheio de dicas de conteúdo otimizado para SEO.

LEIA TAMBÉM

[ARTIGO] SEO e Redes Sociais – Como eles se relacionam?
[ARTIGO] O Google Search Console Insights agora está disponível para todos
[ARTIGO]Link building e a performance em SEO